Economia

“Open Banking vai transformar mercado de crédito no Brasil”

Para CEO do banco Original, compartilhamento de dados vai permitir que bancos digitais e fintechs ofereçam melhores produtos

21/07/2021 11h04

Foto: Divulgação

Uma das grandes barreiras para os bancos digitais avançarem no Brasil é o fluxo de pagamento, que hoje é feito pelos grandes bancos tradicionais. Ao concentrarem a folha de pagamento de empresas e governos, essas instituições detêm um bem muito precioso: os dados dos clientes. Para o CEO do Banco Original, Alexandre Abreu, com o Open Banking, que está sendo implantado pelo Banco Central, haverá uma transformação nesse mercado.

“O Open Banking tem potencial para aumentar muito a concorrência no mercado financeiro. Os bancos tradicionais sabem quando o cliente recebe, o que ele paga e o que ele faz com o dinheiro. Esses dados possibilitam que eles saibam qual é o melhor momento de oferecer um produto. Já os digitais e as fintechs não possuem esse histórico”, disse Abreu.

A segunda fase do Open Banking, que foi adiada pelo BC, vai permitir que os clientes autorizem o compartilhamento de dados e façam a portabilidade com outros bancos e fintechs. “À medida que o cliente se conscientiza de que ele é o dono desses dados e que pode fornecer para quem quiser, [os bancos digitais e fintechs] vão poder formatar melhores ofertas”, destaca o CEO do Banco Original.

Abreu acredita que, por envolver dados, a adesão não será tão rápida como aconteceu com o Pix. “Tenho a impressão de que não será tão rápido como o Pix porque é mais complexo, tanto é que o BC adiou algumas vezes. Envolve a pessoa fornecer os dados e a empresa saber trabalhar esses dados.

Segundo Abreu, outro ponto que precisa avançar é a aprendizagem digital. “Nem todas as pessoas conseguem fazer transação bancária pelo celular. Isso ainda é uma barreira”, ressalta.

Fonte: Mercado & Concumo